Gênios nascem e morrem todos os dias, sem saber que são gênios. Artistas, líderes… pessoas e crianças de cérebros ativos que se perdem ao longo da vida sem poder praticar seus dotes, pô-Ios em prática, desaparecem sem fazer destes seus diferenciais. Quem perde com isso é a sociedade que carece e sofre com esse enorme desperdício de talentos.

A essas pessoas talentosas, mas desafortunadas, o que faltou foi acesso à educação. Não somente a educação formal, ditada por leis de diretrizes e bases ou pautada por currículos escolares, mas a educação edificante para a VIDA que transforma o ser bruto repleto de potencialidades, num novo Galileu. Um novo Da Vinci!

Procuramos por esta EDUCAÇÃO! Queremos esta educação, e é nela que pensamos quando falamos em Geração Conhecimento. Se a escola é a grande matriz da educação moderna, podemos e devemos, através dela, promover esta educação que tanto nos falta e é necessária.

No Maximus, zelamos não somente pelos conteúdos programáticos, mas também para que nossos alunos possam aproveitar seus naturais dons de produzir e gerar conhecimento, formando-se como seres humanos plenos e independentes em suas ações e capacidades.

Não preparamos apenas para O VESTIBULAR. Se este nada mais é que um passo para a faculdade e esta é a continuação da educação, não podemos preparar uma criança durante 16 anos apenas para ser aprovada num concurso público: e o que vem depois? Quem a preparará para a VIDA? A escola tem responsabilidade neste processo e não pode se omitir!

Incentivamos nossos alunos a valorizar o saber, a cultura e a respeitar as individualidades através de uma moderna pedagogia de projetos e atraentes recursos extra classe. O objetivo é torná-los pessoas edificadas para uma vida plena de sucesso e felicidade.

Alunos não nascem prontos: devem ser criados, cultivados, incentivados e, acima de tudo, assistidos dentro de um processo de aprendizado conduzido com seriedade e metodologia, com zelo pelas individualidades, pelo respeito e pela disciplina. É assim que criamos alunos brilhantes que irão se tomar profissionais brilhantes, numa geração que herdará nosso mundo, para transformá-Io num lugar melhor para todos.

Ser educador é doar a vida para o futuro que talvez não tenhamos a oportunidade de vislumbrar, mas que nem por isso abriremos mão de nossa parte nessa função social tão nobre e necessária. Se o futuro pertence às nossas crianças, a elas daremos o que temos de melhor! Certamente, com igual dedicação, elas retribuirão à sociedade o que receberam ao longo de sua vida.

Obrigado e Deus nos abençoe!

Prof. João Valle